Histórico

A edição número 1 saiu em junho de 1991, com o nome Síntese Executiva, editada pelo Centro de Estatística e Informações (CEI), contendo dados sobre indústria, comércio exterior, emprego e renda, agricultura e finanças públicas. Era datilografada e grampeada e tinha periodicidade mensal.

Em junho de 1994, editada pela CEI e pela Fundação Centro de Projetos e Estudos (CPE), a publicação ampliou sua análise incluindo a economia nacional e ganhou o atual nome: Conjuntura & Planejamento. Foram feitos ajustes no formato, e se reiniciou a numeração a partir de um novo número um. A revista ainda era datilografada e grampeada e com periodicidade mensal.

Em junho de 1995, a edição n° 13, foi publicada pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), instituição criada a partir da fusão entre a fundação Centro de Projetos e Estudos (CPE) e da autarquia Centro de Estatísticas e Informações (CEI). Passou a ser editorada internamente e impressa em gráfica, ainda conservando o formato, a periodicidade e o conteúdo.

Em janeiro de 1996, a revista foi registrada no Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) e recebeu a sua numeração no ISSN: 1413-1536, para publicação impressa.

Em abril de 2000, na edição nº 71, foi desenvolvido um projeto gráfico com base nas normas da ABNT. O conteúdo foi mantido, contemplando estudos da equipe de análise conjuntural interna e de especialistas convidados e tabelas com os indicadores conjunturais. A periodicidade continuou a ser mensal.

Em maio de 2004, a edição n° 121 modernizou seu projeto gráfico e ampliou seu conteúdo, inserindo informações sobre investimentos na Bahia e uma nova seção: Economia em Destaque. A revista ainda tinha periodicidade mensal

A publicação passou a ser trimestral a partir da edição n° 155, em 2007, quando recebeu um arrojado projeto gráfico contendo ilustrações e cores. Foram incluídas novas seções – entrevista, ponto de vista e resenha de livros – e criadas normas para o recebimento de artigos, sendo instituído um conselho editorial.

Em razão da crise econômica, a periodicidade tornou-se semestral a partir de 2016.

Em 2017, a C&P renova-se mais uma vez para adequar-se ao formato de revista eletrônica, com vistas a possibilitar o acesso imediato, em escala mundial, ao seu conteúdo, disponibilizado na web, por meio de computadores, tablets e smartphones. Mantém-se com periodicidade semestral e recebe um novo ISSN (EISSN), conservando o antigo para a versão impressa.